A EXPECTATIVA DO MUNDO

A gravidez gira em torno de expectativas. Mas é engraçado, que uma mulher quando engravida, cai por terra toda aquela fantasia de conto de fadas e a realidade bate! E bate mais forte ainda por causa do mundo, que mantém as expectativas vivas e até aumentam quando alguém do seu círculo engravida.

E aí, está enjoando?

E aí, já fez ultrassom?

E aí, se emocionou com o batimento do coração?

E aí, menina ou menino?

E aí, já está curtindo?

E aí, como está o bebê?

E aí, foi ao médico?

E aí, vai ser parto normal ou cesárea?

E a barriga?

E aí, não estás comendo isso, isso e aquilo né?

E aí, te oferecem outras tantas receitas para tantas coisas que você sente também!

Podem parar!!!

Ninguém aqui é obrigada a passar um relatório da gestação para ninguém. E sabe do que mais, têm mulheres que não sentem absolutamente nada no início da gravidez e nem por isso significa que não estão curtindo, que não estão felizes e que não amam o serzinho que está crescendo dentro delas. É que, acredite, a vida continua igualzinha como era antes de engravidar, salvo, claro, algumas (muitas) mudanças no corpo.

Mas é comum, inclusive, se esquecer por alguns momentos que se está grávida, porque a vida é igual. E se for o primeiro filho, então, você aí, não sabe o desespero que é a notícia. Por mais que os pais já desejassem, é sempre uma mudança absoluta e vem aquela montoeira de dúvida: e agora? Como vai ser? O que eu faço? Para quem eu conto? Será que está tudo bem? E se eu não encontrar um médico que eu goste? E se, e se, e se.

Respeitem o momento de cada mulher. Curtam, mas não pressionem. A mãe passa por um período de aceitação desse novo estado e começa um preparo psicológico para viver um dia de cada vez.

Um dia questionei o obstetra: todo mundo pergunta como está o bebê. E eu fico muito aflita, porque eu não sinto (não vejo, não ouço) e, por isso, não sei como está o bebê e não tenho o que responder! O que eu faço?

– Fica calma, o primeiro trimestre é assim. Você não sente nada e precisa confiar na natureza. Confia que o seu corpo está dando conta de tudo e está tudo bem.

Difícil entender, né? Imagina para a mãe! Mas então está tudo bem, pessoal.

E isso nunca vai significar falta de amor.

É adaptação.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *