De repente, a profissional se completou: sendo mãe!

Casos reais – Um sonho, uma carreira, uma ambição. Cada vez mais as mulheres estão inseridas nesse jogo dos negócios e movidas pelos desafios empresariais. Crescer, superar, evoluir. Faz parte. Atrasando, muitas vezes, a decisão da maternidade. Estabilidade financeira e sucesso profissional estão entre os fatores que adiam a decisão, que, às vezes, se torna tarde demais. Escolhas.

Dúvida: Continuo trabalhando, ou  me dedico somente à maternidade?

Uma decisão que cabe a você e, se for o caso, ao casal. Natalie, a Nat, é pedagoga e trabalhou durante 10 anos dando aula em educação infantil, casou, mudou de emprego e logo em seguida uma nova mudança: começou a trabalhar junto ao marido, que é dono de uma empresa. Ela nunca teve o desejo de ser mãe. Até então, o discurso era aquele conhecido da gente: nunca quis ter filhos. Tenho dois cachorrinhos e eu e meu marido somos muito realizados como casal, apesar de ser professora infantil.

Com o reloginho dos 30 despertando e também a proximidade de uma super amiga que engravidou, em que Nat acompanhou a gestação do início ao fim… já sabem né? De repente, o amor aconteceu. É agora ou nunca, emparedou o maridão. “Ou a gente passa a vida sem esse amor, que é desconhecido, ou a gente tem um filho e resolve conhecer este amor”, pensaram. Embora fossem daquela opinião de que criança não traz felicidade, o mundo já está cheio de gente e de desgraça, temos que diminuir a população, aquela coisa toda, sabe? Ainda assim, eles foram tomados pela vontade. E a decisão foi pelo amor. Sempre ele. O casal começou, então, a planejar a gestação – desde exames médicos, até financeiramente.

Ela parou de tomar pílula e o médico alertou que a gravidez poderia acontecer em até seis meses, devido ao longo período que ela já tomava pílula e deveria esperar a volta da ovulação. No segundo mês a menstruação atrasou e ela já tinha certeza que estava grávida! Mas para a triste surpresa dela, o teste de farmácia deu negativo. Passaram-se mais três dias de atraso e ela resolveu fazer um novo teste: PO-SI-TI-VO!

Com oito semanas de gestação, o quartinho já estava montado. Acreditem. A certeza era tanta de que a gestação ia ser incrível, que eles resolveram viver cada momentinho, desde o início. E desde então, Natalie já tinha feito a sua escolha: começou a trabalhar home office, por conta das dores nas costas. “Até na maternidade eu estava respondendo e-mails”, relembra animada.

Clarice nasceu, aquele presentinho lindo e precisando de tanto cuidado. Por outro lado, Natalie não rendia mais no trabalho e, então, parou de trabalhar e passou a se dedicar em tempo integral à maternidade. Da maternidade, surgiu a ideia de compartilhar os passos da Clari, as dificuldades e momentos da mamãe, a felicidade da família! Hoje a Natalie se realiza transformando a maternidade em inspiração para outras mães, além de trocar experiências nos canais digitais “La em casa é Assim”.

Ela tem certeza de que fez a escolha certa. Quando olha para trás, lembra do quanto trabalhou e era dedicada aquilo. “Das 7h da manhã até de madrugada, sem parar. Ainda emendava sábados e domingos, parando somente para almoçar. Eu era completamente realizada profissionalmente”, conta Natalie, que hoje é feliz em ser mãe e revela que já planeja o segundo filho!

Ela era realizada profissionalmente. Mas… de repente se deu conta que havia uma lacuna. Que foi preenchida absolutamente pela maternidade. E hoje? Ela é realizada na vida!

Nat e Clari, puro amor!

 

Quem se identifica?

Acompanhe o blog da Natalie, com muito assunto bacana e também o dia a dia no stories do Instagram, além das fotinhos super super super fofuras! Ela também está no Face e Twitter!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *